07 maio 2008

CONSUMISMO DESENFREADO

Neoliberalismo e psicopatologia



Doenças psicológicas como depressão, bipolaridade, síndrome do pânico e histerias obsessivas se encontrariam associadas diretamente às imposições sociais decorrentes da adoção do sistema capitalista neoliberal — capaz de desencadear o consumismo desenfreado por bens materiais e serviços.

Tal compulsividade estaria ocultando, na verdade, a procura permanente pela felicidade — que seria provisoriamente saciada por algum produto oferecido pelo mercado.
Neste contexto, a indústria farmacêutica e de medicamentos contra doenças psicosintomáticas estaria fortalecendo o papel controlador exercido pela (assim denominada) "ditadura do número”, a qual classifica (no âmbito das agências de propaganda e empresas produtoras de mídia) os cidadãos como "mercadoria".

Esta análise dá a tônica ao livro O Mercosul no divã, lançado pela psicóloga e escritora Gleuza Salomon no Fórum Social do Mercosul 2008, promovido em Curitiba/PR. Ela participou — na segunda-feira 28/04 — do painel Psicanálise e cultura, coordenado pela psicanalista Maria de Sousa, integrante da Associação Mundial de Psicanálise e da Escola Brasileira de Psicanálise.

Para Gleuza Salomon, as "doenças da mente" são expressões pontuais da época atual que vive a humanidade. Conforme aponta a autora, o modelo capitalista "empurra" as pessoas para o consumo exacerbado, e assim, inconscientemente, a sociedade tenta substituir a felicidade pela aquisição de produtos de diversos gêneros.

Porém, quando os bens materiais deixam de representar estímulos competentes, já que desprovidos de essência vital, as pessoas tendem a mergulhar na depressão ou desenvolver sintomas psicopatológicos.

“É então que as indústrias farmacêuticas entram em ação e acabam condicionando as pessoas a seguir tratamentos severos à base de medicamentos. Tal situação as deixa inertes, classificadas em números, sem nenhuma condição de sair do estado de angústia, pois a compra exagerada não leva a lugar algum”, descreve a psicóloga.

Segundo conclui a autora, a imposição do sistema neoliberal aos países da América Latina tem ocasionado efeitos devastadores. Por conseguinte, a população do continente, a despeito da conscientização existente sobre a influência "colonizadora" estrangeira, padece sob a neurose do consumismo.

“As doenças psicológicas aqui, no Mercosul e na América Latina podem ser consideradas também doenças impulsionadas, justamente, pelo sistema neoliberal”, sintetiza Gleuza Salomon.



*A psicóloga Gleuza Salomon, coordenadora do Fórum do Mercosul e de Psicanálise, é autora de O ego de James Joyce, Transferência negativa ou O horror de saber da castração, O sujeito e seu sintoma e outros textos (foto da sala com o divã de Freud disponível na Wikipedia)


SAIBA MAIS



PARA LER O LIVRO